16 e 17.08.13 - Dias 122 e 123 - Inverness - John o'Groats - Ilhas Orkney

Sexta-feira; o roteiro é sair de Inverness e chegar até o ponto mais setentrional da Grã-Bretanha, lá em cima onde o Mar do Norte encontra o Atlântico Norte ...



Logo na saída de Inverness atravessamos a ponte sobre o Firth, isto é, o estuário do Rio Ness. Seguimos a Rota da Costa Leste, 200 km de cliffs (falésias), acantilados, vilarejos com vocação pesqueira, plataformas de petróleo (essa região possui as maiores reservas de petróleo da União Européia) e pela primeira vez vimos o verdadeiro gado escocês. A foto ficou meio sem graça então juntei com um postal para dar mais parecença...



Primeira parada antes do almoço: Destilaria Glenmorangie; será que eu já falei que Glen quer dizer nascente de rio? Pois é ...
Dizem os entendidos que quando a destilaria fica à beira-mar o uísque adquire um outro sabor  por causa da maresia ... muito sutil demais ...






E lá vai mais uma garrafa para o MH.
Próxima parada Golspie: hora de almoçar: fish&chips na beira-mar, do Mar do Norte. Aproveitar enquanto tem fish&chips...





Tenho a impressão que 99% dos bancos de todas as cidades são oferecidos pela população pelos mais variados motivos: alguém gostava de ficar por ali, mulher com saudades do marido que se foi (vice-versa não reparei...), amigos, associação ... etc.



 Só para ver o padrão da arquitetura do banheiro público de Golspie, cidade com menos de 2.000 habitantes e com todas as facilidades que o turista precisa: estacionamento, área para pic-nic (que todo mundo adora fazer), banheiros, oficina de turismo, cafeteria.



Chegando em John o' Groats, doravante por nós chamada de  João das Grotas...
Existe um ditado : de Land's End a John o'Groats...quando se quer dizer que a coisa é loooonge...equivalente ao nosso do Oiapoque ao Chuí!
É a maior extensão na Ilha da Grã-Bretanha ligando o extremo sudoeste ao nordeste (por estrada 1400 km e em linha reta 970 km).


The last house of Scotland !!!
Bem, João das Grotas é tudo isso... camping, hotel, correios, lojinha de souvenires, public bar e o porto de onde saem os ferries ... prá frente só o marzão besta...











Dia de levantar cedo, quem mandou pagar excursão?!? Vamos para as Ilhas Orkney=Órcades=Órcadas, arquipélago (70 ilhas) localizado no Mar do Norte, cerca de 16 km ao largo do Norte da Escócia.


Pela tranquilidade aparente do mar pensei que a travessia de 50' seria fácil, mas se demorasse um pouco mais o bicho pegava e é possível que quisesse sair do meu estômago...eca! Mas chegamos sãos e salvos...
   



Quando descemos o ônibus que ia nos levar já estava a postos. O próprio motorista é o guia: ele dirige por aquelas estradinhas minúsculas, fala sem parar, conta piada e tira a mão do volante enquanto fala e dirige (deve ser de origem italiana)...

Kirkwal: capital administrativa, fica na The MainLand (ilha principal). 


   
 Catedral de São Magnus, de 1137, atualmente professa a fé da Igreja da Escócia.
Arquitetura mistura de românico com gótico!







 Próxima parada : Stromness, debaixo de chuva: cidade portuária. Íamos dar uma volta mas a chuva nos fez entrar em um restaurante, almoçar e esperar a hora de embarcar no ônibus de novo.
  



Entre uma parada e outra o motorista falou muito: as Ilhas fizeram parte em eventos da Segunda Guerra Mundial: a região de Scapa Flow é um dos maiores portos naturais do mundo com 140 milhas quadradas, podendo abrigar grande número de embarcações. 

Esses diques ligando as ilhas foram feitos para impedir a navegação entre as ilhas, já que submarinos alemães já tinham feito alguns estragos por ali...



Outro local visitado foi Skara Brae: povoação do final do neolítico (3100 a 2500 a.C.), de pescadores e agricultores. Como na ilha não há árvores, tudo foi feito com pedras e lâminas de pedras: casas e mobília. Foi descoberta em 1850 depois de uma tempestade e até hoje os arqueólogos estudam a área.





Que dois mais mal ajambrados: vento e chuva dá nisso!






Muros maravilhosos: tinham bons taipeiros por aqui!
Esse sítio chama-se Ring of Brodar: considerado Patrimônio da Humanidade pela Unesco, com datação de 3.100 a.C., é o mais antigo círculo de pedras da Grã-Bretanha. Gigantes megalíticos, sendo 12 originais e as escavações e estudos continuam...





É pedra, pedra e mais pedra ... anda de ônibus, pára, visita pedra, toma chuva, abre sol, visita pedra ... o dia foi cansativo pois não!
Mas tinha uma turma de italianos animadíssimos: como falam!



Vi fotos aéreas desse local e realmente ficam bonitas e impressionantes! mas o que temos por agora são essas fotos.

Mais um local "pedroso": Dolmens de Stenness



A Capela Italiana: foi feita pelos prisioneiros de guerra italianos que ficaram nas Ilhas após a guerra. 






A maioria das casas na zona rural segue esse estilo.


A volta foi pior que a vinda: o mar estava "grosso" e o barco literalmente dançava nas ondas, num sobe e desce danado... mas também chegamos ilesos. O problema de ir para ilha é que sempre tem que voltar!



Nada como estar com os pés no chão, mesmo que seja numa das pontas do mundo....
Por hoje chega! 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

75.dia - Registro (SP) - Florianópolis (SC)

44.dia - Serro - Milho Verde - São Gonçalo do Rio das Pedras - Serro

09 a 14-10-2017 - POA - Frankfurt - Madri